Últimas notícias:

Publicidade Legal com Certificação Digital. “Lei 13.818/2019, que alterou o art. 289, da Lei das S/As. Em vigor desde 1º/01/2022.

Os produtos que mais contribuíram para a queda do custo foram a carne de 1ª, de 2ª, batata, arroz e frango

Em um ano, cesta básica sobe mais de R$ 130; em um mês, cai R$ 25,58 em Sorocaba

Vitória (ES) - Supermercados lotados e com filas nos caixas e na entrada funcionam em horário reduzido. (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O preço da cesta básica em Sorocaba, na comparação de junho deste ano ao de 2021, teve um aumento de 14,42%, ou seja, R$ 137,09 pagos a mais pelo consumidor. Por outro lado, na diferença de um mês, de junho com maio deste ano, houve uma queda de 2,30%, passando de R$ 1.113,08 para R$ 1.087,50, ou seja, R$ 25,58 a menos.

Os dados constam no boletim mensal do Laboratório de Ciências Aplicadas da Universidade de Sorocaba (Uniso), divulgado nesta quarta-feira (6). Os grupos de bens, em junho, apresentaram as seguintes variações: alimentação, -2,52%; limpeza, 0,10%; e higiene pessoal, -1,06%.

Os produtos que mais contribuíram para a queda do custo foram a carne de 1ª, de 2ª, batata, arroz e frango. Dos 34 itens que compõem a cesta básica, 20 deles apresentaram queda. Entre os que apontaram maiores quedas, o frango (-26,97%) foi o primeiro item, com maior queda, passando de R$ 12,46/(kg) para R$ 9,10/(kg).

A principal explicação para a queda de valor do item foi a retração de demanda por parte do consumidor durante o período em que o preço estava em alta. Em seguida, a batata foi o segundo com maior queda de preço (-12,47%), passando de R$ 7,78/(kg) em maio para R$ 6,81/(kg) em junho.

A queda do preço da batata é consequência da queda da temperatura que favorece o aumento da oferta do produto, contribuindo para o preço cair. Em terceiro lugar ficou o sal (-9,45%), que passou de R$ 2,54/(kg) em maio para R$ 2,30/(kg) em junho. Em quarto lugar está a cebola (-6.81%), passando de R$ 6,61(kg) em maio para R$ 6,16(kg) em junho.

 

Produtos em alta

Entre os produtos que apresentaram as maiores altas de preços encontram-se o leite (7,11%), passando de R$ 4,98/(L) em maio para R$ 5,27/(L) em junho; o feijão (4,47%), passando de R$ 9,18/(kg) em maio para R$ 9,59/(kg) em junho; a água sanitária (4,36%), passando de R$ 5,51/(2l) em maio para R$ 5,75/(2l) em junho; e o papel higiênico (1,85%), passando de R$ 7,58 em maio para R$ 7,72 em junho.

O leite foi o item que teve maior alta (7,11%), passando de R$ 4,98/(L) em maio para R$ 5,27/(L) em junho. A principal explicação para a alta de valor do item deve-se à menor oferta, a queda na produção está atrelada ao avanço do período de entressafra, que ocorre sazonalmente entre o Outono e o Inverno, e também a elevação de custo de insumos necessários à produção de leite, que vem subindo de forma significativa.

Foto: Agência Brasil

Pais de crianças com autismo protestam contra medida de plano de saúde

Estado tem seis das 10 cidades com menores taxas de homicídio do Brasil

Fiscalização de trânsito faz 19 autuações no Jardim Zulmira

Empresário que atirou contra casal é preso

Estreia na Copa América é vista como oportunidade

Amarelinha encara Costa Rica na próxima segunda-feira (24), às 22 horas, nos EUA

Itu e Salto sediam Mostra de Modelismo Ferroviário

Evento começa no próximo dia 22 na Estação Ferroviária de Itu e Salto e terá entrada franca


Anuncie aqui!

Prencha e entraremos em contato!