Últimas notícias:

Publicidade Legal com Certificação Digital. “Lei 13.818/2019, que alterou o art. 289, da Lei das S/As. Em vigor desde 1º/01/2022.

A previsão é de que a obra seja finalizada em até nove meses

Começa obra para detenção de cheias

obra

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) deu início, nesta quarta-feira (22), à obra de construção do Reservatório de Detenção de Cheias (RDC) no Jardim Maria do Carmo. O projeto inclui, ainda, um sistema composto por dique de contenção e rede de bombeamento.

O objetivo é proteger contra alagamentos decorrentes do transbordamento da calha (nível) do Rio Sorocaba. “A iniciativa vai conduzir todo o escoamento da água de chuva para esse reservatório, que vai operar como um piscinão”, resume o diretor-geral do Saae, Tiago Suckow.

O RDC está sendo construído em uma área pública de 12 mil metros quadrados, localizada junto às ruas João Gabriel Mendes e Ingrácia Angrisani Gomes. O reservatório terá cerca de um metro e meio de profundidade e capacidade para armazenar 9,6 mil metros cúbicos.

A previsão é de que a obra seja finalizada em até nove meses. O projeto também contempla um dique de um metro e meio de altura, contornando o bairro, no trecho a partir da Rua Arthur Bernardes, margeando a Avenida Dom Aguirre até o Parque das Águas.

O Saae vai instalar, ainda, um sistema de comporta para bloquear a água que vem do rio para as galerias, o que tem gerado o alagamento da Rua João Gabriel Mendes, mesmo sem fortes chuvas, devido à cota da rua ser inferior àquela do nível do rio.

Prefeitura volta a citar vazão de Itupararanga

A Prefeitura ressalta que agravante a essa situação tem sido a vazão liberada da Represa de Itupararanga para o Rio Sorocaba, que está em 28,48 m³/s. “Isso tem contribuindo para que o rio mantenha-se em cota elevada, em especial, nesse trecho do Parque das Águas”, frisa.

O RDC Jardim Maria do Carmo será um complemento e vai operar semelhante àquele existente no Jardim Abaeté, junto ao Parque das Águas. O Parque das Águas todo, aliás, funciona como uma bacia de contenção, em períodos de chuvas intensas.

Por sua vez, a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) esclarece que o grande volume de chuvas desde o começo do ano elevou o nível do reservatório de Itupararanga. Durante esse período, a empresa vem realizando o controle de cheias.

“Por diversas vezes, atendeu aos pedidos da Prefeitura de Sorocaba e diminuiu a vazão defluente do reservatório, mesmo já tendo demonstrado tecnicamente que esta medida não é determinante para evitar alagamentos e inundações nas regiões a jusante”, frisa em nota.

“As chuvas nos últimos dias intensificaram-se e o reservatório subiu mais de 30 centímetros. Diante desse cenário de rápida elevação do nível do reservatório, a Companhia esclarece que é necessário aumentar a vazão. Reforçamos que o vertimento é uma ação normal”, completa.

Foto: Divulgação

Pais de crianças com autismo protestam contra medida de plano de saúde

Estado tem seis das 10 cidades com menores taxas de homicídio do Brasil

Fiscalização de trânsito faz 19 autuações no Jardim Zulmira

Empresário que atirou contra casal é preso

Estreia na Copa América é vista como oportunidade

Amarelinha encara Costa Rica na próxima segunda-feira (24), às 22 horas, nos EUA

Itu e Salto sediam Mostra de Modelismo Ferroviário

Evento começa no próximo dia 22 na Estação Ferroviária de Itu e Salto e terá entrada franca


Anuncie aqui!

Prencha e entraremos em contato!